Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Para o meu coração / Fotografia de Bernardo Sassetti

Para o Meu Coração, de Pablo Neruda: "Para o meu coração basta o teu peito,/para a tua liberdade as minhas asas./Da minha boca chegará até ao céu/o que dormia sobre a tua alma./És em ti a ilusão de cada dia./Como o orvalho tu chegas às corolas./Minas o horizonte com a tua ausência./Eternamente em fuga como a onda./Eu disse que no vento ias cantando/como os pinheiros e como os mastros./Como eles tu és alta e taciturna./E ficas logo triste, como uma viagem./Acolhedora como um velho caminho./Povoam-te ecos e vozes nostálgicas./Eu acordei e às vezes emigram e fogem/pássaros que dormiam na tua alma. "

Parece que foi ontem, mas já lá vão dois anos. Um amigo convidou-me para ir ver uma Exposição de Fotografia de Bernardo Sassetti. Eu aceitei o convite. Não fazia ideia que ele também tirava fotografias, pensava que era só músico. As figuras públicas são um bocadinho nossas. Sobretudo aquelas que nos ajudam a encher o coração. A gente desconhece o sonho dos outros. http://youtu.be/PSJ5CQ4dZN0 .

A Exposição de fotografia de Bernardo Sassetti, de Setembro de 2012, intitulada "...e ainda por cima está frio", apresentada pouco tempo depois da sua morte, foi organizada por Daniel Blaufuks. No folheto "Bernardo Sassetti. Fragmento. Movimento.Ascensão" que apresentava a produção conjunta do Teatro S.Luiz , José Sarmento de Matos sublinha como o artista é caracterizado pelo adjectivo "contagiante". Um individuo "brilhante", testemunha. No caso das fotografias, elas foram selecionadas, diz Daniel Blaufuks, "...ao som do Indigo e Nocturno, deixando o piano preencher a noite, que, ao olhar novamente as imagens e ao tentar compreendê-las, percebi que não poderia estar mais vazia". E acrescenta:"...estas fotografias, apesar de irónicas como eu as vejo, são sobre presença, a sua presença, os seus pés fincados e o seu corpo encenado em vários locais, em vários solos, nesta Terra".

Quero aqui dizer que as fotografias que vi, sobretudo a que escolhi para cabeçalho, são brilhantes e contagiantes. Fazem estremecer. São um bocadinho de chuva que doi ao fazer saltar o coração; sinal de que me/lhe correspondem. Porque são pedaços cheios de humanidade. O director artístico do SLTM, José Luís Ferreira, lembra as palavras de Bernardo Sassetti: "qualquer forma de arte deve ser um meio de exploração das nossas convicções pessoais, ainda que possa ser um exemplo vivo de fragilidades e indecisões, tanto humanas como artísticas." E acentua o trabalho apresentado naqueles dias: "...mais do que prestar-lhe homenagem, é procurar com ele o lugar da arte no mistério da humanidade."

Ainda Daniel Blaufuks: "E como não existe positivo sem negativo, a presença é igualmente uma ausência, uma ausência agora ainda mais presente, dolorosamente presente, um espaço abandonado, uma sombra projectada num campo solar, os acordes que ressoam na nossa memória. Existem para além da sua existência concreta. Existem num tempo que já não é o deles, mas existem./ Privilegiados foram os que conheceram bem o Bernardo Sassetti. Mas ainda vamos a tempo. Temos fotografias, filmes e música. Música". Eu? Já perdi tempo que chegue. Quero por as mãos à obra.

Hoje é no Centro Cultural De Belém - Grande Auditório (Lisboa)
SINOPSE do site do CCB: Quando um acorde ao piano é deixado em suspenso indica, naturalmente, que a música ainda não terminou. E abre espaço para que chegue alguém, aproveite a deixa e siga por diante. Após a primeira celebração do aniversário de Bernardo Sassetti (1970-2012) na sua ausência, com a interpretação da banda sonora para o filme Maria do Mar, de Leitão de Barros, este ano a música do pianista será recordada através de um concerto dividido em dois momentos. Na primeira parte, João Paulo Esteves da Silva interpretará temas do reportório de piano solo de Sassetti. Em seguida, apresenta-se a Orquestra de Jazz do Hot Clube de Portugal, com um programa composto por “Pescaria” (a única composição de Sassetti para o formato de big band) e arranjos da sua obra assinados por um conjunto de jovens músicos. O último que deixe um acorde em suspenso, por favor.
Orquestra de Jazz do Hot Clube de Portugal
Repertório de Piano Solo de Bernardo Sassetti
João Paulo Esteves

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D