Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



PS dá à COSTA

por Fátima Pinheiro, em 29.05.14

                                                     Encosta-te a mim...

 

Então é assim? Foi preciso esperar para ver o resultado de Seguro nestas eleições europeias? Por que é que Costa aparece só agora? Estava à espera que um terço dos portugueses se manifestassem? Mas não sabia já ele que a abstenção seria enorme? Mas que legitimidade politica tão magrinha! Esta golpada não é justa para Seguro. Não é justa para o país, não é justa para quem nos tem governado. Terá a justiça do tamanho que ele quer: ser o próximo primeiro-ministro de Portugal. De cavalo de pau, cavaleiro andante-militante desde as suas 14 primaveras, como fez questão de lembrar ontem aos jornalistas. Como que a dizer ao português: podes vir chorar no meu peito as mágoas e as desventuras, sabes sempre onde estou, sou o que te conta mentiras, do meu cavalo de pau, vou estar sempre do teu lado. Se é assim prefiro o Rui Veloso, que logo à noite estará na Bela Vista. Será o meu país um Rock in Rio? Venham depois com a cantilena que Durão Barroso nos abandonou e de que no fim das contas é ele o culpado. Género western: “DB: procura-se!” Abandonou o tanas. Sabem a história toda?

 

O estado da democracia chegou a um ponto em que não vale a pena dizer – para já - que estas não foram eleições legislativas. As ideias de democracia e Europa estarão em crise. Os protagonistas políticos – salvo uma ou outra exceção que me recuso a sublinhar porque está na cara – mostraram mais uma vez como se tem feito a política: facadinhas nas costas, oportunismo, e apostas quando não há risco. Passos Coelho tem tido a coragem de tomar medidas de austeridade, impopulares. Coisas desagradáveis. Às vezes a chutos e pontapés? Terá dado algum passo que não foi o correto? Não fez nada que não desse certo? (os Xutos logo vão cantar ao lado do Rock do Rui).  Não que eu lhe queira assim tanto. Mas não se percebe que quem ganhou no Domingo foi ele? Pelo que tem feito? Pelos riscos mesmos riscos, e não a fingir?

 

O silêncio das urnas no Domingo pode ser visto como uma moção de confiança – ou o benefício da dúvida - para que quem começou a obra, a leve ao fim. Para se fazer o que ainda não está feito. Embora estejamos com o país a abanar, a ver muita gente a passar mal, vale agora a pena deitar tudo a perder? Ricos, privilegiados parece que sempre os teremos. Queremos que Roma e Pavia se façam num dia? Cortem as pernas a Passos! Cortem as pernas a Seguro! Por que não chamam Sócrates para um “encore”? É para começar de novo e dizer, mais uma vez: “agora é que é”? Histórias da carochinha. Vem o novo Salvador? Vai-se rebobinar. Já vi este filme. Deixemo-nos de utopias. Eu prefiro uma presença, a errar por vezes, mas a pegar no barco que estava à deriva.

 

O Governo não fez o que a troika quis, ou não governou “a mando” dela, lembrou ontem Passos Coelho na abertura do Conselho Nacional. Fez sim o que entendeu necessário – tinha e tem toda a legitimidade para o fazer - para retirar o país da insolvência em que se encontrava. E nós esquecemos por que chegamos a esse abismo, ou “terramoto”. Ribeira vai cheia e o barco não anda? Sem referir o Tribunal Constitucional, o PM lembrou ainda que é preciso uma tomada de consciência, que há decisões que poderão vir a comprometer o futuro do país. Que poderão por em causa uma recuperação sustentada da nossa economia e a recuperação da credibilidade do país.

 

António Costa quer disputar a liderança do PS e desafia o líder do partido a dar a palavra aos militantes? O PS é que está em crise. O terramoto que sofre agora – com tanta fratura interna - não deve impedir que se continue a aposta legitimada nas últimas legislativas. Costa disse ontem que se Seguro não convocar o congresso, ele próprio irá avançar com um pedido na comissão nacional:  "O PS é um partido responsável e democrático, onde a boa tradição é que haja liberdade de expressão, pluralidade e escolha democrática pelos militantes das suas lideranças"

 

Deu à Costa, pronto. Can´t get no satisfaction. Eu? Tenho o meu amor lá na outra banda. Nem tudo o que vem à rede é peixe. Não que seja maniqueísta mas isto está a melhorar. Seguro segura-te, ou queres o usa e bota fora. Os mandatos levam-se até ao fim se há razões. E há. Ou poderá cair este  governo só porque o PS tem mais uma cadeira na “europa”? Acho que basta. Costa: queres ser Primeiro Ministro? Eu ofereço-te um jogo de computador. Ainda tens o Magalhães? Não brinco contigo. Simpatizo contigo. O tua cara agrada-me; sei, de fonte segura que és competente, que ainda nos teen já fazias leis. Um animal político. Mas será que vale tudo?

Autoria e outros dados (tags, etc)


41 comentários

Imagem de perfil

De Ema a 29.05.2014 às 12:46

Estão muitos portugueses a passar mal e você não é um deles, com toda a certeza, ou então não falaria assim. Quando o 1º ministro diz que "os portugueses estão pior mas o país está melhor" está a dizer tudo, minha senhora!!!!!
Imagem de perfil

De Fátima Pinheiro a 29.05.2014 às 13:17

Limito-me a comentar o que vejo na atuação política. E já que vivemos em democracia digo o que penso. Isto independentemente da minha vida, se passo bem ou se passo mal. Não há machado que corte a raíz ao pensamento. E pode crêr, poderia estar melhor, mas a nada me vendo. Digo-lhe só isto: estou desempregada, e há 4 meses não estava.
Sem imagem de perfil

De José a 29.05.2014 às 16:39

Passos Coelho tem tido coragem, é verdade. De resto é a única coisa que ele tem, provavelmente para compensar a falta de inteligência (que tem demonstrado ao longo dos últimos anos) e de sentido de oportunidade (derrubando o governo do Sócrates no momento em que o chefe de governo quis, para poder voltar algum tempo depois e sacudir as culpas).
Já quanto às pessoas confiarem no PSD, aí vá com mais calma. As pessoas desconfiam é tanto do PSD como do PS e são suficientemente burras para acreditar que não há mais partidos neste país e abstêm-se. O que vimos nas últimas eleições foi o eleitorado fiel de ambos os partidos, que vimos ser muito próximo. Aqueles que votam ora num ora noutro deixaram de votar porque finalmente perceberam que ambos são exatamente a mesma coisa.
Quanto à situação do país estar melhor, pelo contrário, está a nível macroeconómico exatamente igual (como se pode ver pelos dados mais recentes do INE sobre a balança comercial ou da taxa de poupança) e a nível de qualidade de vida da população e da qualidade dos serviços públicos incomensuravelmente pior.
Se a senhora acha que estar desempregada é uma situação razoável para que o país se salve, lamento informá-la, mas está enganada. O que se nota no seu discurso é o conformismo a que os portugueses foram adaptados após 48 anos de um sistema educativo próprio de uma ditadura e do sistema educativo de 10 anos do Aníbal Cavaco Silva que serviu para estupidificar a população (fator necessário para que uma população vote sempre nos partidos centristas numa democracia), que não foi alterado por nenhum governo socialista (pergunto-me porquê...). Se está desempregada como diz estar tenho outra má notícia para si: prepare-se para se manter nessa situação o resto dos seus dias, é que a continuar assim este país nunca se vai salvar, muito por causa da falta de inteligência (mas honestidade e coragem ele tem...) do atual chefe do executivo.
Imagem de perfil

De Fátima Pinheiro a 29.05.2014 às 22:58

A análise política não é o meu forte. Não gostei da jogada de Costa. Por que não avançou ele antes?
Sem imagem de perfil

De José a 03.06.2014 às 08:53

Se o fizesse o PS teria força e faria oposição. O governo não duraria muito por causa disso. Entretanto tinha de ser o PS, e não o PSD, a aplicar as medidas de austeridade que foram acordadas com a troika pelo PS. Assim o PS e António Costa perderiam votos. Tendo o PS um líder fraco nos últimos anos houve uma oposição leve e agora o Costa e o PS podem surgir como salvadores da pátria.
Seguro foi logo colocado na liderança do PS não pelas suas qualidades, foi simplesmente porque era uma figura fácil de destruir com quem ninguém se ia importar. Pelos vistos agora acredita que pode lutar contra todos os pesos pesados do PS. A única coisa que conseguirá é perder o emprego.
Sem imagem de perfil

De Marco Antunes a 29.05.2014 às 17:47

Ainda bem que ainda há quem goste de Passos Coelho!

Fez o que foi preciso???????? Meu Deus, será possível que ainda exista tanta ignorância!

Que a crise existiu e existe ninguém tem dúvidas . Reduzi-la a Sócrates é sinonimo de estupidez. Ele não é culpado? Claro que é! Mas não é O culpado. Assim como Passos Coelho não é O salvador.

Já agora, em que cházinho de caridade participa ou que acções tem desenvolvido para os pobrezinhos da sua zona?

Quanto a António Costa, estaria de acordo consigo se a sua possível liderança do PS nunca se tivesse posto. Afinal ele ficaria no seu cantinho se o PS tivesse tido um resultado coerente com a situação actual bem como as imprescindíveis alternativas tivessem aparecido... que até agora não apareceram ... e não é porque não existem ... é porque não interessam e o seu Passos não tem força, assim como os anteriores não tiveram.
Quem sabe se Costa terá essa força?
Imagem de perfil

De Fátima Pinheiro a 29.05.2014 às 23:01

Percebo o que diz. E estamos em desacordo. A do chazinho é que lhe retira qualquer razão. Também acho que não há culpados unicos nem salvadores únicos!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.05.2014 às 19:46

António Costa é o único político que ainda nos pode desiludir... porque ainda reúne algum consenso, porque tem provas dadas da sua competência, porque Lisboa está diferente e mais bonita. O país está exausto de má política, de cinismo, de jogadas de bastidor, de calculismos que só servem para garantir aos amigos e aos amigos dos amigos a manutenção no poder. O PS não teve um bom resultado nas eleições europeias, não é tomado como alternativa. haver um militante que tem consciência disso e que não se encolhe com medo de avançar, em democracia, é bastante importante. A solução na continuidade nem sempre é o melhor. Não podemos, enquanto país e enquanto democracia ficar tolhidos pelo medo do pior que pode vir quando do melhor não temos tido notícias.
Imagem de perfil

De Fátima Pinheiro a 29.05.2014 às 23:02

Que venha o melhor.
Sem imagem de perfil

De Makiavel a 29.05.2014 às 20:07

Sintomático o facto de a comentadora elogiar a "coragem" de Passos Coelho (esquecendo-se do rol de mentiras durante a campanha eleitoral que o levou ao poder) ter pena de Seguro e achar que António Costa é um oportunista com esta candidatura à liderança do PS. Seguro teve duas hipóteses de mostrar que liderava o descontentamento generalizado na sociedade portuguesa - autárquicas e europeias; nas duas teve vitórias de pirro, com especial destaque para as europeias. Já agora, quando é que um líder de um partido derrotado nas eleições alguma vez conseguiu levar o partido às eleições seguintes? Depois de Manuela Ferreira Leite ter sido derrotada nas eleições, passaram pelo PSD Marques Mendes e Luis Filipe Menezes. Foi Passos Coelho que se guardou durante a travessia do deserto para aparecer "limpo e cristalino" com a sua pandilha da goldman sachs. O PSD que se cuide e trate de colocar o Rui Rio à frente ou vão levar abada.
Imagem de perfil

De Fátima Pinheiro a 29.05.2014 às 23:04

Estará tudo certo. Mas vamos começar do zero?
Sem imagem de perfil

De Makiavel a 30.05.2014 às 12:17

Nunca se começa do zero, a não ser que se refira ao zero absoluto dos actuais protagonistas políticos. Nesse caso, o que vier (Rio ou Costa) será sempre melhor. Ainda ninguém percebeu o que está a acontecer à Europa?
Imagem de perfil

De Fátima Pinheiro a 30.05.2014 às 13:11

Não se corta a meio um trabalho que está a resultar.
Sem imagem de perfil

De Makiavel a 30.05.2014 às 17:24

Não sei a que trabalho é que se está a referir como estando a resultar: se o de Seguro e a sua vantagem de 3% sobre um governo que implementou a maior austeridade de que há memória em Portugal, ou se o de Passos Coelho e Paulo Portas com o aumento da dívida, da recessão acumulada record, do nível de desemprego record, da emigração, etc. Não atribuo a descida dos juros da dívida a qualquer acção atribuível a esta pandilha. Eles desceram globalmente em toda a Europa: Grécia, Espanha, Itália e Irlanda viram os seus juros baixar e não consta que o ex-CEO da Tecnoforma governe por lá.
Imagem de perfil

De Fátima Pinheiro a 30.05.2014 às 17:39

Estava a referir-me ao trabalho deste Governo. O quadro de "miséria" que refere não esgota o que se passa no nosso país, nem é o quadro me mede a totalidade do trabalho que por ele tem sido feito.
Sem imagem de perfil

De Makiavel a 30.05.2014 às 19:58

Não sendo o quadro de miséria que resumi, não sei que trabalho está este governo a fazer. Refere-se à privatização/venda directa falhada da TAP a um obscuro investidor colombiano? Refere-se à "privatização" da REN e EDP, vendendo a participação do estado português a uma empresa de capitais públicos chineses? Refere-se à venda dos CTT, empresa que dava lucro, aos amigos da Goldman Sachs? Assim de momento, não estou a ver nenhum trabalho deste governo que não deva ser interrompido com manifestos ganhos para o país
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.05.2014 às 20:13

Está desempregada!? Hummmm! Deve estar bem de vida, caso contrário o seu discurso seria outro. Se fosse funcionária pública, ganhasse o salário mínimo nacional ou fosse desempregada e desapoiada de longa duração, aposto que não falaria assim.
Quanto ao Costa: está a ser oportunista sim. Já podia e devia ter avança do há mais tempo. O Seguro pode ter muitas coisas boas, e acredito que as tenha, mas tem pouco carisma e isso em política é fundamental. O Passos também não tem mas beneficiou das pessoas estarem fartas de Sócrates.
O sr. Passos não é a Troika, mas esta corre-lhe nas veias. Esta crise é a desculpa ideal para poder aplicar o seu pensamento político enviesado: tens dinheiro e padrinhos, safas-te! Não tens, emigra!
Imagem de perfil

De Fátima Pinheiro a 29.05.2014 às 23:10

Fiquei desempregada, que é diferente. Mas este blogue não gira em torno da minha pessoa. Disse-o porque uma comentadora me levou a isso. O meu blogue parte sim da minha experiência. E não costumo fazer análises políticas. Escrevo sobre tudo em geral, porque a minha área é a filosofia. Mas acho completamente irrazoável esta falta de coragem política. Nunca gostei de deitar trabalho fora.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 29.05.2014 às 20:18

Ah, esqueci: estão com medo do Costa e preferiam o Seguro, não é!?
Imagem de perfil

De Fátima Pinheiro a 29.05.2014 às 23:12

Ao escrever este post pensei que pudesse ser assim interpretado. Mas não foi essa a minha intenção. Mas assim sendo, falando de medo, quem parece tê-lo tido foi Costa, ao não ter avançado antes. Teria sido muito mais clean.
Sem imagem de perfil

De Makiavel a 30.05.2014 às 12:22

O timing é tudo em política. Sentido de oportunidade não tem nada a ver com oportunismo. Não havia razão para avançar antes, sem dar uma hipótese a Seguro e sua equipa de mostrarem o que valem. Tiveram essas hipóteses e falharam redondamente. Está na altura de mudar de liderança no PS (e no PSD já agora), a bem da qualidade da democracia portuguesa.
Imagem de perfil

De Fátima Pinheiro a 30.05.2014 às 13:10

Um homem do calibre de Costa sabia isso há muito tempo....Assim fica com as mãos menos "sujas"!!
Sem imagem de perfil

De luis Gandhi a 29.05.2014 às 21:46

As suas palavras sao certeiras, quem defende Sócrates e a sua governação foi quem andou a mamar na teta. Isto inclui sobretudo os FP e seus sindicatos comunistas, que com a redução do numero de pessoal tem visto reduzida a cobrança das quotas. Passos teve que lutar contra o TC ( pro xuxa) e contra toda a esquerda manhosa. Ele devia ter deixado passar o pac 4 para o Sócrates se estender ao comprido e nao haver guito para os FP e reformados. Tinha sido lindo.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 30.05.2014 às 09:31

Já aqui faltava um post/comentário com todos os clichés contra os funcionários públicos, etc. Quem não tem a coragem de pensar opta por estereótipos confortáveis para disfarçar a falta de sentido crítico e de conhecimento acerca das questões que abordam. Dá jeito aos governantes que as pessoas pensem assim. Torna-se tudo mais fácil e mais perigoso.
Sem imagem de perfil

De José a 03.06.2014 às 08:59

Foi com o primeiro governo de Sócrates que começou a redução do pessoal e os congelamentos dos salários, medidas que na altura contaram com a oposição do PSD.
Quanto à austeridade, também foi com ele que começou. Se não estou em erro os financiamentos para o ensino superior sofreram um corte de 50% logo com o Sócrates. Se isso não é austeridade, não sei o que será.
Sem imagem de perfil

De luis Gandhi a 29.05.2014 às 21:48

A diferença entre o Costa e o Toze, e o tempo que um tem a mais de praia..
Imagem de perfil

De Fátima Pinheiro a 29.05.2014 às 23:14

Costa tem qualidade! O meu ponto não foi esse.
Sem imagem de perfil

De Mp a 29.05.2014 às 22:07

Sobre a minha palavra de honra, se o sr. Passos Coelho aparecer-me à frente passo-0 a ferro 27 vezes!!! e porquê 27 ? Burrice. Não 70X7 como bom cristão. Nunca mais PSD!! e não choro porque um homem não chor..
Imagem de perfil

De Fátima Pinheiro a 29.05.2014 às 23:15

Não diga isso!

Comentar post


Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D